Categorias
Méliuz

Teletrabalho para retardar a pandemia de Covid-19 no Brasil

Hoje, 13 de Março de 2020, iniciamos um teste de teletrabalho com 100% do time, aproximadamente 150 pessoas.

O trabalho remoto ou teletrabalho é uma tendência cada vez mais incorporada pelas empresas ao redor do mundo, mas que ainda sofre bastante resistência nas empresas brasileiras. Porém o atual cenário de pandemia de coronavírus ou Covid-19 tem acelerado essa tendência inclusive no Brasil. O problema é que essa não é uma mudança simples e rápida de ser implementada pelas empresas. Pelo contrário, é necessário muita preparação e cautela. E mesmo com toda preparação e cautela, esse pode não ser o melhor modelo de trabalho para muitas empresas e trabalhadores.

teletrabalho

No Méliuz, como a cultura de testes faz parte de nosso dia a dia, já havíamos realizado um teste de teletrabalho com todo o time de Produto há exatamente 1 ano. Esse teste que inicialmente iria durar 3 meses, durou 6 meses e como o resultado foi positivo, desde então todo o time de Produto migrou para o regime de teletrabalho. Por isso já estamos habituados a lidar com este modelo de trabalho.

Agora, com o recente cenário de pandemia, resolvemos antecipar um possível movimento futuro e testar o modelo de teletrabalho com todos os outros times, 100% da empresa. Acreditamos que dessa forma podemos contribuir para retardar a velocidade de proliferação do vírus e consequentemente salvar vidas.

Como o teletrabalho contribui?

A capacidade de atendimento do sistema de saúde tanto no Brasil quanto nos outros países não suporta a velocidade de propagação do vírus Covid-19. Isso porque, por se tratar de um vírus novo, ninguém tem imunidade ainda. Dessa forma, se muitos adoecerem ao mesmo tempo, faltará recursos para tratar os casos mais graves.

Por isso estamos vendo várias iniciativas que visam retardar a velocidade de contágio, como restrição de viagens e aglomerações, adoção do teletrabalho e tratamento domiciliar. Com essa redução na velocidade de expansão do vírus o sistema de saúde tem mais chances de conseguir atender todos os casos mais críticos e salvar vidas.

Contudo, não podemos esquecer que as crises econômicas também matam, e muito. Medidas muito extremas e mal planejadas podem causar danos econômicos que trazem resultados piores que a própria doença.

Na realidade do Méliuz, o teletrabalho é uma medida ponderada que acreditamos que irá contribuir para reduzir a velocidade de proliferação do vírus. Portanto cabe a cada empresa pesar os prós e contras dentro de sua realidade antes de decidir replicar este modelo.

Recentemente um artigo de Tomas Pueyo teve enorme repercussão entre os grupos de empreendedores que participo e recomendo a leitura. Meu amigo Rafael Costa, empreendedor da Jusbrasil traduziu o artigo em português para quem preferir.

Neste outro artigo, eu conto resumidamente a história do Méliuz e o que estamos construindo no Brasil – a partir de hoje com todo o time em teletrabalho.

#goMéliuz

Anúncios
Categorias
Méliuz

O que é cashback?

Um breve resumo da história do Méliuz

“O que é cashback?” e “Como assim dinheiro de volta?!?” acho que foram as perguntas que eu mais ouvi nos últimos 10 anos.

Tudo começou em 2011 quando eu e Israel Salmen decidimos fazer no Brasil algo que nunca tinha sido feito por aqui: o tal do cashback, ou simplesmente devolver dinheiro para as pessoas. A idéia não era “dar dinheiro” como o Silvio Santos faz com sua platéia. A idéia era devolver para os consumidores uma parte do valor que eles gastam em suas compras. Sem burocracia e sem intermediários, diretamente na conta bancária.

o que é cashback

Daí surgiu o(a) Méliuz. O nome veio do latim “melius” que significa “melhor”.

A idéia parecia excelente, mas como “não existe almoço grátis” e “quando a esmola é demais o santo desconfia“, a gente tinha uma difícil missão de convencimento de duas frentes:

  1. Convencer as empresas a nos pagarem para devolver dinheiro para as pessoas, pois as empresas também não conheciam o conceito de cashback; e
  2. Convencer as pessoas (consumidores) de que não tem nenhuma “pegadinha” nessa história.

Então aqui está a resposta para as perguntas “Como funciona o cashback?”, “Como assim dinheiro de volta?” e “De onde vem esse dinheiro?”: 

As empresas (lojas e marcas) pagam para anunciar no Méliuz e o Méliuz paga (ou devolve o dinheiro) para as pessoas que compram os produtos e serviços dessas empresas.

Esse modelo de “cashback” ou “dinheiro de volta” era novo no Brasil em 2011, mas existe desde 1999 nos EUA e desde 2003 na Europa.

O começo do cashback

O trabalho de convencimento das empresas foi difícil, mas em Setembro de 2011 colocamos no ar a primeira versão de nosso site com 16 lojas online que aceitaram nos pagar uma comissão pelas vendas geradas por nós.

Porém, muito mais difícil foi convencer as pessoas de que elas poderiam comprar através de nosso site nas lojas parceiras e receberiam em dinheiro uma parte do valor gasto nas compras.

Como éramos apenas 2 jovens sonhadores, sem nenhum caminhão de dinheiro para alavancar nosso projeto, começamos a colocar em prática algumas idéias “brilhantes” e baratas para mostrar para as pessoas o que estávamos fazendo e convencê-las de usarem nosso site toda vez que fizessem alguma compra.

Inspirados pelo vídeo viral do Dollar Shave Club (que já teve mais de 24 milhões de visualizações no Youtube) e com a ajuda de alguns amigos e parentes (sobrinha, avô, irmão, primo, tios, etc.) fizemos esse vídeo em 2012 tentando explicar o que era o Méliuz:

É claro que ele não viralizou.

A extensão

No final de 2012, com centenas de empresas anunciando em nosso site, começamos a oferecer cupons de desconto das lojas parceiras, além do cashback. Também lançamos uma extensão para os navegadores Google Chrome e Mozilla Firefox para lembrar as pessoas de usarem o Méliuz no momento das compras.

O cashback no varejo físico

Em 2016, já com milhares de empresas anunciando em nosso site, demos mais um passo importante em nossa história: começamos a devolver dinheiro para as pessoas em suas compras no varejo físico, introduzindo o cashback no mundo físico, principalmente em redes de supermercados e drogarias.

O app

Em Fevereiro de 2017 lançamos a primeira versão de nosso app, deixando o cashback ainda mais acessível na palma da mão dos usuários.

O cartão com cashback

cartão com cashback

Em Março de 2019 lançamos um cartão de crédito com cashback em todas as compras e sem anuidade, em parceria com o Banco Pan.

Até hoje já devolvemos mais de R$ 100 Milhões para os consumidores brasileiros. Somos uma família de quase 150 pessoas que têm como missão fazer cashback de verdade, devolvendo dinheiro para as pessoas, melhorando a experiência de compra e a relação entre os consumidores e as empresas.

#goMéliuz